Diversidade Religiosa em Sala de Aula
Texto enviado por Geraldo Vicente da Silva

Escola Municipal Vereador Antônio Ferreira da Silva- São José de Mipibu- Rio Grande do Norte
(Ensino Fundamental 1º ao 5º)

Discutir o ensino religioso nas salas de aula, em especial no ensino fundamental I é algo muito delicado e que necessita de muitos cuidados do profissional o qual está à frente de uma determinada turma para não parecer que este está tentando passar o ponto de vista dele sobre qual a melhor ou a mais correta opção religiosa.

Nesse sentido, ao iniciar o ano letivo 2017, me fiz várias perguntas de como e por onde iniciar as atividades de ensino religioso na escola. Nesse caso em uma turma de 3º ano do Ensino Fundamental, de uma Escola pública municipal da periferia da cidade de São José de Mipibu, cidade metropolitana, distante da capital do Rio Grande do Norte, Natal média de 30 Km.

 

Após muito pesquisar e uma vez que a rede não dispõe de uma proposta pedagógica, ou se dispõe nunca foi apresentada, optei em pesquisar quais as principais religiões “seguidas” no país e foi quando encontrei um quadro (ver imagem acima):

A partir do quadro acima e outros textos os quais tratavam sobre as religiões no país, planejei uma aula de acordo com a sequência a seguir:

  • Debate com os alunos sobre as opções religiosas que havia na sala;
  • Se eles conheciam outras religiões
  • Quais eram as principais religiões no Brasil;
  • Se eles tinham curiosidade de conhecer um pouco mais sobre outras religiões;
  • Apresentação do quadro sobre as principais religiões ou a “diversidade religiosa” do Brasil
  • Exibição de um vídeo sobre a diversidade religiosa
  • Perguntas se eles sabiam as religiões das pessoas que viviam em suas casas ou dos seus vizinhos e se eles queriam saber, pois “sabemos a nível do País, mas será que sabemos a nível do nosso bairro?”...

A partir desse momento estava lançado o desafio de pesquisar a diversidade religiosa do bairro e com isso, cada aluno ficou na responsabilidade de levar para casa um formulário, e trazer na aula seguinte. Fato que só foi finalizado duas semanas depois.

A partir desse momento deu-se início a um belíssimo trabalho interdisciplinar pois foi necessário mesmo sendo “na aula de religião” trabalharmos com operações matemáticas, noções de tipos de gráficos neste caso montamos gráficos de colunas. Nesse momento foi montado um gráfico coletivo e em seguida foi solicitado que cada aluno montasse seu gráfico.

Esse trabalho continua ocorrendo pois a cada mês é trabalhada uma religião diferente observando seus principais aspectos e trazendo estes aspectos ao nível de compreensão dos alunos por se tratar de educando de 3º ano do ensino fundamental. E, nesses momentos são exibidos vídeos e aberto os debates sobre as principais características das religiões apontadas na pesquisa apresentada pelo IBGE como as mais presentes no país e, de certa maneira confirmada pelos próprios alunos.

Não posso de deixar de destacar a importância desse trabalho pois o mesmo tem motivado e demonstrado na prática como é satisfatório esse tipo de trabalho pois o aluno se sente parte da história, sente-se colaborador do processo de ensino aprendizagem.



 

Enviado em Maio de 2017


© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística